São atribuições do Conselho Tutelar:
            I – atender às crianças e adolescentes sempre que seus direitos forem ameaçados ou violados;
            II – atender e aconselhar os pais ou responsáveis, aplicando as medidas previstas em Lei;
            III – promover a execução de suas decisões, podendo, para tanto:
            a) requisitar serviços públicos no âmbito do Município, nas áreas de saúde, educação, serviço social, previdência, trabalho e segurança;
            b) representar junto à autoridade judicial nos casos de descumprimento injustificado de suas deliberações.
            IV – encaminhar ao Ministério Público notícia de fato que constitua infração administrativa ou penal contra os direitos da criança e do adolescente;
            V – encaminhar à autoridade judiciária os casos de sua competência;
            VI – providenciar a medida estabelecida pela autoridade judiciária quanto a:
            a) encaminhamento de pais ou responsáveis, mediante termo de responsabilidade;
            b) orientação, apoio e acompanhamento temporários;
            c) matrícula e frequência obrigatória em estabelecimento oficial de ensino fundamental;
            d) inclusão em programa oficial ou comunitário de auxílio, orientação e tratamento a alcoólatras e toxicômanos;
            e) inclusão em programa comunitário ou oficial de auxílio à família, à criança e ao adolescente;
            f) requisição de tratamento médico, psicológico ou psiquiátrico, em regime hospitalar ou ambulatorial;
            g) abrigo em entidade;
            h) colocação em família substituta.
            VII – expedir notificações;
            VIII – requisitar certidões de nascimento e de óbito de criança ou adolescente, quando necessário;
            IX – assessorar o Poder Executivo na elaboração da proposta orçamentária para planos e programas de atendimento dos direitos da criança e do adolescente;
            X – representar, em nome da pessoa e da família, contra a violação dos direitos previstos no inciso II do § 3º do artigo 220 da Constituição da República de 1988;
            XI – representar ao Ministério Público, para efeito das ações de perda ou suspensão do pátrio poder.

Responsáveis

Claudia Andréia Correa dos Passos

Conselheira Tutelar

Adelson, Daniel, Iloise e Silvane

Conselheiros Tutelares

Endereço

  Rua Armindo Jungken, 50  Bairro: Centro
    Esperança do Sul/RS

Notícias Relacionadas a este Departamento

15/05/2018

Formações do PNAIC

Esperança do Sul realiza formações do PNAIC (Pacto Nacional Pela Alfabetização na Idade Certa)


30 abr 2018

Atividades com Beneficiários do CadÚnico

Esperança do Sul dá inicio a atividades com Beneficiários do Programa Bolsa Família e Inscritos no CadÚnico


30 abr 2018

Escolas Municipais trabalham com teatro

"O teatro é um exercício de cidadania e um meio de ampliar o repertório cultural de qualquer estudante"


25 abr 2018

A Hora do Conto

Escolas Municipais buscam despertar em seus alunos o gosto pela leitura.


25 abr 2018

"O Espaço também Educa"

Escolas da rede municipal de ensino recebem investimentos na infraestrutura.


Todas as notícias